Secretário de Segurança promete apresentar hoje o plano do governo para combater a violência no Ceará que causou uma matança em 2017

Costa Costa
O secretário da Segurança do Ceará, delegado federal André Costa, deverá apresentar, nesta sexta-feira (27), ao Conselho Estadual de Segurança Pública (Consesp), o plano estratégico do governo para o combate à violência no estado. O anúncio é aguardado com expectativa pelos membros do colegiado diante da possibilidade de ter requerida à Presidência da República uma intervenção federal no estado.


O motivo é o avanço da criminalidade, a matança patrocinada pelas facções e o caos no Sistema Penitenciário com cadeias superlotadas e loteadas pelas quadrilhas do tráfico. Segundo o presidente do Conselho, advogado Leandro Vasques, a entidade aguarda a apresentação do plano que terá a finalidade de reduzir os altíssimos índices dos Crimes Violentos, Letais e Intencionais (CVLIs) no estado. No ano passado, o Ceará bateu seu recorde histórico do número de assassinatos. Nada menos, que 5.134 (número oficial) pessoas foram mortas e, somente nos primeiros 24 dias de 2018, esse número já passa de 400 assassinatos, incluindo homicídios, latrocínios e os casos de lesões corporais seguidas de morte. “Diante do crescimento exponencial dos números de homicídios em janeiro de 2018, comparativamente ao mesmo período de 2017, o Consesp na última reunião, deliberou em suspender a discussão acerca da intervenção federal no Estado do Ceará, e optou por ouvir do Secretário André Costa o que a Secretaria de Segurança Pública tem a apresentar como plano para combater esse crescimento da violência no Estado”, disse Vasques. Violência só aumenta 

O plano a ser apresentado por André Costa foi baseado na reunião de dados e de avaliação de cenário, além de citação de experiências exitosas no enfrentamento à violência e à criminalidade que foram reunidos e editados em três livros publicados e distribuídos pelo governo. Para isso, o governo contratou por cerca de R$ 10 milhões, a equipe do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, uma organização não-governamental que, todos os anos, publica o Mapa Brasileiro da Violência com base nos dados fornecidos pelo Ministério da Justiça e da Segurança Pública (MJSP), que, por sua vez, se baseia nas estatísticas fornecidas pelas secretarias de Segurança dos estados. Em 2015, o governador Camilo Santana (PT) instituiu o “Pacto Por Um Ceará Pacífico”, com o objetivo de articular um conjunto de ações reunindo órgãos públicos estaduais, municipais e federais e instituições da sociedade civil para reduzir a violência. Contudo, nos dois anos de sua atuação, o “Ceará Pacífico” não atingiu seus objetivos. A violência só cresceu, e de forma descontrolada, no estado.

Por: Fernando Ribeiro


Related Posts
Previous
« Prev Post