.
O homicida Lucas de Souza Gonçalves, 20 anos, se apresentou na 14ª DP, depois de ter fugido da composição do BPRaio que juntamente com a Polícia Civil estavam à procura do mesmo. Sentindo-se pressionado, o suspeito resolveu se apresentar acompanhado de seu advogado.

Lucas é acusado do crime de homicídio ocorrido na noite da quinta-feira (08), no Bairro Bezerra e Souza, em Tauá, cuja vítima foi um homem identificado como sendo Francisco François  Mota, que foi morto a tiros quando chegava em  sua residência na Rua Lili Feitosa, depois de participar de um culto evangélico.

François andava em companhia da esposa que também é evangélica, e ao parar o carro para que sua mulher abrisse o portão do imóvel foi abordado por um indivíduo que o aguardava e que efetuou vários disparos de arma de fogo deixando o mesmo sem vida dentro do veículo. Após o crime, o autor dos disparos fugiu do local, mas as investigações logo o identificaram como sendo o autor do crime, que passou a ser procurado e antes de ser encontrado pela Polícia resolveu se apresentar.

Na delegacia ele apresentou um álibi tentando provar que não poderia ter cometido o crime, pois no momento em que o fato aconteceu se encontrava na casa de uma tia, que também foi conduzida a delegacia e negou tal afirmação contradizendo aquilo que foi dito pelo acusado. Lucas afirmou que havia chegado à casa da tia por volta das 21h, mas segundo a mulher ele só chegou em casa por volta da meia noite.
Diante dessa e de outras contradições, o delegado Regional de Polícia Civil de Tauá que está à frente das investigações, resolvei dar voz de prisão ao Lucas, que foi recolhido ao cárcere da 14ª DP.

Após prestar depoimento Lucas foi levado ao IML para realização do exame de corpo de delito e na volta passou a ocupar um dos xadrezes da Delegacia e em breve será enviado a Cadeia Pública de Tauá, onde ficará disposição da Justiça.

Lindon Johnson