HOMEM FOI MORTO AO SER ATINGIDO POR DISPARO EM AÇÃO REALIZADA PELO BATALHÃO DE DIVISA NO MUNICÍPIO DE TAMBORIL

Fato ocorreu
por volta das 3h da madrugada desta sexta-feira (04), quando uma ligação foi feita para a Delegacia de Tamboril, informando que um possível assalto poderia acontecer em uma residência no Assentamento São Manoel, zona rural do município. Uma composição da PM de Tamboril, seguiu para a ocorrência e ao chegar no local encontrou policiais do Batalhão de Divisas, que já atendiam o fato. A composição retornou para Tamboril e a ocorrência foi atendida pelos policiais do divisas.

A casa era a mesma que foi assaltada a aproximadamente duas semanas, por dois homens armados que chegaram no local ao amanhecer e segundo as informações divulgadas pela polícia na época, fizeram os moradores reféns. As informações divulgadas pela polícia foram de que eles realizaram uma abordagem e o proprietário da casa teria reagido, vindo a efetuar um disparo contra a composição. Os policiais reagiram e atiraram, vindo a atingir o dono da casa na altura do peito esquerdo.

O homem morto foi Francisco de Paula Alves de Sousa, 50 anos. Mais conhecido como “Paulo Preto”. Ele chegou a ser socorrido para o hospital, mas já deu entrada sem vida. Familiares rechaçam a versão da polícia e disseram que a casa foi invadida pelos policiais. E ao ver a casa invadida, a vítima pensou que se tratava de um novo assalto. Temendo por se repetir o que já teria acontecido com sua família, Paulo pegou uma arma e atirou sem saber que eram os policiais que invadiram sua residência.

Antes da polícia atirar, uma das filhas teria gritado e pedido para não atirar no pai dela. Infelizmente o caso registrado em Tamboril, acontece no dia do aniversário de 165 anos de emancipação política do município. Familiares se reuniram em frente ao Hospital da manhã de hoje. Em seguida as filhas foram na delegacia. Revoltados, eles exigem a clara apuração dos fatos. O corpo de Paulo foi encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML), para passar por uma perícia.

Manuel Sales

Postar um comentário

0 Comentários