VEREADOR ESTÁ SENDO ACUSADO DE AGREDIR MULHER EM CRATEÚS

Na noite desta sexta(22) compareceu a Delegacia Regional de Polícia Civil de Crateus uma
senhora que, na oportunidade fez a denúncia que havia sido agredida fisicamente em sua própria residência, inclusive a vítima apresentava vários hematomas pelo corpo. A vítima: Aurelina Martins, ela é militar reformada do exército brasileiro, reside na Rua Senhor do Bonfim 521 altos bairro São Vicente Crateús.
Segundo relatos de Aurelina, ela teve um relacionamento que durou 3 anos e meio com o vereador Márcio Cavalcante e que há mais ou menos um mês ela terminou o relacionamento, inclusive no momento já encontra-se com outra pessoa. Relatou que durante o tempo que esteve com Márcio, nas Idas e vindas, às vezes terminavam depois voltavam, nunca tinha chegado ao ponto de sofrer agressão física e que na última segunda-feira Márcio teria tomado conhecimento que a mesma já estava com outra pessoa e daí ele teria se transformado, mandou algumas mensagens para a vítima destratando a mesma, porém depois se retratou inclusive pediu desculpas a Aurelina.
Ontem Marcio teria chamado a mesma para conversar, ela fez algumas ponderações, dizendo que não queria, mas devido a insistência ela resolveu aceitar que o mesmo fosse até sua residência. Por volta das 15:30 Márcio foi até a casa, ela mesmo abriu o portão e ele subiu. Ele estava com uma garrafa de bebida daí sentou e ela chamou o mesmo para conversar o que tinha para resolver, daí ele pediu para que ela desse um tempo e ficou lá em um local da casa Bebendo e conversando com algumas pessoas pelo celular.
Já por volta das 19:00 horas, ela insistiu novamente para conversar com o mesmo ele teria se alterado, ela tambem e ele teria desferido um tapa no rosto da mesma que ela acabou desmaiando. Depois de um certo tempo ela retornou e daí percebeu que estava um pouco desorientada. Depois teria sido agredida com vários tapas, percebeu que haviam vários hematomas pelo corpo da mesma, costas, pernas, olhos, boca, panturrilha, braços. Segundo ela foi bastante agredida por Márcio, sendo que ele sempre batia de mao aberta.
Disse ainda a vítima, que o mesmo revirou a casa, bagunçou as roupas do quarto, danificou garrafa de bebida, televisor e depois de um tempo teria saído da casa levando uma bicicleta e também desapareceu um celular e o carregador. Esses dois ultimos objetos ela não tem certeza que foram levados por ele.
A vítima disse que também percebeu que estava sem roupa mas descarta a possibilidade de ter tido violência sexual. Disse que por volta das 21:30 ela conseguiu vestir a roupa desceu e pediu ajuda de vizinhos, foi quando ligaram para familiares da mesma e ela foi levada para a delegacia de polícia por volta das 11 horas. Foi expedida uma guia de corpo delito,ela foi para a UPA onde foi preenchida e daí a polícia civil entrou em contato com a polícia militar que foi até a residência de Márcio onde o mesmo foi com seu advogado no seu próprio veículo para a delegacia de polícia.
Na Delegacia, depois de analisar toda a situação o delegado plantonista resolveu fazer o inquérito policial por portaria. Os procedimentos foram realizados durante toda a madrugada. Foram ouvidas as partes e já no início da manhã deste sábado Márcio foi liberado. Segundo a vítima o corpo está bastante dolorido e apresenta vários hematomas inclusive fortes dores no maxilar, olhos inchados e várias outras partes do corpo. A mesma disse que nunca tinha sido agredida fisicamente por Márcio lamenta o fato e espera que ele pague pelo erro que cometeu. Aurelina chegou a afirmar que muitas vezes as pessoas pensam que isso só ocorre com pessoas da Periferia, porém, ela relatou que isso acontece com todas as pessoas inclusive ela que é militar e ele que é funcionário público.
Ela disse ter estranhado muito a atitude de Marcio, pois mesmo com as indas e vindas às vezes terminavam, depois voltavam, mas nunca tinha chegado ao ponto de sofrer agressão física.
Em conversa com a nossa reportagem o vereador Márcio Cavalcante relatou que a história não foi como Aurelina contou e disse que pretende resolver o caso da melhor maneira possível. Relatou ainda que desde o início, quando foi procurado pela polícia sempre esteve disposto a colaborar com o trabalho da Polícia Civil.
Fonte:

Postar um comentário

0 Comentários