POLÍCIA PRENDEU ENVOLVIDOS NA TENTATIVA DE HOMICÍDIO CONTRA CASAL NA CIDADE DE TAUÁ

P
oliciais do CPRaio prenderam na manhã desta segunda-feira (09), três indivíduos acusados de envolvimento na dupla tentativa de homicídio ocorrida na noite do domingo (08), na Rua Lauro Oliveira Botão no Bairro Alto Nelândia.

No citado endereço o casal Daiane Araújo Oliveira e Michel Veríssimo Feitosa, foi abordado por dois homens, um deles portando uma arma de fogo, que efetuou vários disparos contra os donos da casa que foram atingidos pelos tiros e se encontram hospitalizados, a mulher no Hospital Regional de Tauá e o marido dela no Instituto Dr. José Frota (IJF) em Fortaleza.

Ao chegar na residência do casal os atiradores chamaram pelo dono da casa, e logo que o portão foi aberto invadiram o imóvel e atiram contra as vítimas que não tiveram como se defender dos agressores.

Daiane foi atingida com dois balaços, sendo um no tórax e outro na região abdominal, passou por cirurgia e está internada no Hospital de Tauá Dr. Alberto Feitosa Lima. O esposo Michel foi atingido com um tiro no pescoço e precisou ser transferido para Fortaleza.

Prisão dos envolvidos

Na manhã de hoje a Polícia Civil recebeu uma denúncia anônima que revelava a identidade de um dos envolvidos no crime. Tratava-se de um indivíduo conhecido como Pezão, já com diversas passagens pela Polícia. A informação foi repassada para o CPRaio que cercou a residência do acusado e efetuou a prisão do mesmo.

Ao ser preso ele logo confessou participação na tentativa de homicídio contra o casal, e revelou a identidade de um dos comparsas, um menor de 17 anos conhecido por Cabeça que instantes depois, foi apreendido na residência de outro elemento identificado como Caíque que supostamente deu guarida ao menor após a prática do crime.
As prisões do Pezão, do Caíque e a apreensão do menor aconteceram no Bairro Bezerra e Souza.

Na Delegacia eles afirmaram que o crime foi um acerto de contas motivado por dívida relacionada com o tráfico de drogas, mas que a intenção era matar apenas o Michel.

Com relação a arma do crime, um revólver calibre 38, Pezão revelou que a arma foi fornecida pelo articulador do crime, mas não revelou a identidade do proprietário do revólver.  Além da arma eles também receberam 12 munições. Ao ser ouvido na Delegacia Pezão confessou que na fuga teria efetuado um disparo em direção ao solo sendo que os estilhaços atingiram o seu comparsa que tem a alcunha de Cabeça. O menor realmente apresenta um hematoma no corpo.

Todos os envolvidos estão sendo ouvidos na Delegacia, e durante os interrogatórios deverão fornecer mais detalhes que irão ajudar a Polícia Civil na conclusão da elucidação do crime.

Lindon Johnson

Postar um comentário

0 Comentários